BLECAUTE – MARCELO RUBENS PAIVA

Bom, para inaugurar esse pseudo-blog de pretensões literárias nada mais justo do que eu começar falando do meu livro favorito até o presente momento: Blecaute, do meu queridíssimo Marcelo Rubens Paiva.

A maioria das pessoas conhece o Marcelo através de seu livro mais famoso e que o projetou como escritor Feliz Ano Velho, porém, indo contra a maré, o primeiro livro que li dele foi justamente o segundo livro por ele lançado. Confesso que quando peguei para ler não estava lá muito empolgada… eu procurava alguma coisa diferente, intrigante, sei lá, e sabe quando a gente entra naquelas de “se só tem tu vai tu mesmo”? Pois bem, foi nessa onda que peguei o livro e simplesmente adorei!

Num resumão básico o livro conta a jornada dos amigos Rindu, Mário e Martina que assistem uma palestra sobre Espeleologia e resolvem explorar uma caverna. lá dentro, enquanto cochilavam, os águas do rio subiram deixando a saída completamente coberta. Quando eles conseguem sair de lá percebem que todo mundo tinha virado estátua, nenhum equipamento eletrônico funcionava e só restavam eles e os animais em toda a cidade de São Paulo. Acho que todo mundo já imaginou como seria ficar assim alone in the dark numa cidade grande ou num shopping, tipo aquele filme, não é mesmo?  

Bom, no começo eles até gostam da idéia de serem os donos da cidade, fazem travessuras como pintar a Avenida Paulista de vermelho,  porém, conforme o tempo passa, eles começam a entrar numa paranóia digna de filmes: passam a andar armados e transformam uma antiga mansão (que tomaram por lar) em um verdadeiro bunker com armadilhas e cercas por toda parte. Já dizia o velho ditado: cabeça vazia…

Pensem cá comigo: o que vocês fariam se nunca mais tivessem notícias do resto do mundo? No livro eles elaboram várias teorias sobre o ocorrido começando por uma guerra nuclear; depois questionam se já estavam mortos e, por fim, chegam a conclusão de que talvez o mundo tenha acabado e que deus havia se esquecido deles… Pô, ser esquecido por deus deve ser péssimo para a auto-estima de uma pessoa!

[…] Diante do altar, um homem ajoelhado rezava. Duro. Devia estar cansado de tanto rezar: Espero que adiante alguma coisa – falei dando-lhe tapinhas no ombro. (p.20)

O estilo do Marcelo é inconfundível! De um jeito fácil e direto ele vai narrando toda a história (que no caso é contada sob o ponto de vista de Rindu, um dos três sobreviventes). Posso dizer que depois deste livro li todos os outros do autor e até pedi para casar com ele quando tive a oportunidade (sério, mas ele não aceitou e eu fiquei bem triste)!

Tá aí a foto que não me deixa mentir:


PAIVA, Marcelo Rubens. Blecaute. São Paulo: Brasiliense, 1986.

5 latas

7 pensamentos sobre “BLECAUTE – MARCELO RUBENS PAIVA

  1. gostei do seu comentário sobre este livro,como você eu também comecei a ler este livro blecaute primeiro, adorei foi uma historia que desda primeiras paginas eu,não consegui para até ler o final….

  2. LI ESSE LIVRO EM 1987 QUANDO MOREI EM SÃO PAULO,ELE FOI SUGERIDO POR UMA PROFESSORA DA ESCOLA ONDE ESTUDEI ,FIQUEI TÃO APAIXONADA PELA ESTÓRIA QUE ATÉ SONHEI HOJE ,TENHO A OPORTUNIDADE DE LÊ-LO NOVAMENTE, ESTOU MUITO FELIZ POR ISSO

  3. Nunca gostei de ler , mais um dia minha amiga indicou este livro e foi o primeiro em que li em minha vida, pois bem nunca mais parei de ler.
    Este livro e maravilhoso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s