Eu sou o mensageiro – Markus Zusak

Meu nome completo é Ed Kennedy. Sou taxista, tenho 19 anos. Não sou nada diferente dos outros jovens daqui destes subúrbios – não tenho planos pro futuro, e as possibilidades são poucas. Tirando isso, leio mais livros do que deveria, sou um zero à esquerda na cama e não entendo nada de imposto de renda. Prazer. (p. 13)

Nossa o tempo passou e nem postei nada! Esses seminários ainda vão me deixar maluca! Também, o que fui inventar de fazer outra faculdade, agora aguenta, né?!! Bom, o livro da vez é Eu sou o mensageiro de Markus Zusak.

Este livro pode não ter feito o mesmo sucesso de A menina que roubava livros (bem que você estava reconhecendo esse autor de algum lugar, né), embora tenha sido escrito antes, mas, com certeza, é uma boa leitura: fácil, leve, ágil e envolvente.

Pra começar, eu adoro quando me identifico logo de cara com o personagem principal! Ed é um cara sem rumo na vida (tô nessa também), mas uma boa pessoa, que dá valor aos seus amigos, que embora sejam poucos são fiéis. Lá pras tantas Ed recebe uma missão, depois várias outras missões – todas transmitidas através de cartas de baralho – no qual ele precisa ajudar, de maneiras algumas vezes questionáveis, outras pessoas.

Tudo anda nos conformes até Ed receber cartas no qual as pessoas que deve ajudar são seus próprios amigos. Bom, se interferir na vida de pessoas estranhas já é difícil, imaginem meter o bedelho na vida de quem a gente conhece: parece fácil, mas requer o dobro de cuidado.

Por fim, quando ele acha realizou todas as tarefas, recebe uma cartada final: O Curinga.

E paro por aqui, não vou estragar a surpresa!

Resumo da ópera: esse chacoalhão na vida até então monótona de Ed fará ele rever vários aspectos de sua existência e que envolvem família, amigos, amor…  

Gostaria de destacar a enorme presença do Porteiro, um cachorro de 17 anos (dezessete?!!), viciado em café  e grande companheiro de Ed nos momentos de filosofia… e que eu gostaria de roubar pra mim, confesso!

Será que três minutos podem durar para sempre?, eu me pergunto, mas já sabendo a resposta.  Provavelmente não, respondo. Mas talvez durem tempo suficiente. (p.297)

 

ZUSAK, Markus. Eu sou o mensageiro. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2007. 318p.

4 latas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s