Quando nem Freud explica, tente a poesia! – Ulisses Tavares (org)

“Seja qual for o caminho que eu escolher, um poeta já passou por ele antes de mim.” (Sigmund Freud)

É isso aí minha gente, como eu ando meio melancólica nos últimos dias o livrinho de hoje é quase uma sessão de psicanálise: Quando nem Freud explica, tente a poesia é um apanhado de poemas de vários autores (uns conhecidos, outros nem tanto) que falam, ao seu modo, sobre os questionamentos que nos fazemos ao longo da vida – e que tentamos resolver com terapia.

O livro é dividido em oito partes, todas são introduzidas com uma citação do Freud sobre o tema proposto e, logo após, com uma outra citação de um poeta sobre a mesma questão. É interessante ver como os poetas escrevem – e descrevem – de forma simples e direta o que os estudiosos da psicologia vêm estudando a anos. 

Como já disse no parágrafo anterior, o livro está dividido em oito partes, ou oito áreas de estudo: O eu; O outro; O corpo; A alma; A vida; A morte; O sonho; A realidade. Para vocês verem a relação que há entre poesia e psicologia, vou colocar aqui as frases introdutórias de alguns capítulos.

O EU:

“Não se deve tentar erradicar os complexos da pessoa, mas sim entrar em acordo com eles.” (Freud) 

“Eu moro dentro de mim mesmo.” (Mário Quintana)

O CORPO: 

“O eu é acima de tudo corporal.” (Freud)

“A felicidade pode ser de carne e de pele apenas.” (Armando Freitas Filho)

A REALIDADE:

“Toda civilização tem sido construída sobre a coação e a repressão dos impulsos.” (Freud)

“Fôssemos infinitos/ Tudo mudaria/ Como somos finitos/ Muito permanece.” (Bertolt Brecht)

Dentre os poetas selecionados no livro, podemos destacar: Casimiro de Abreu, Gregório de Matos, Augusto dos Anjos, Paulo Leminski, Ferreira Gullar e Florbela Espanca. Muitos dos outros relacionados são semi-desconhecidos (pelo menos pra mim), mas nem por isso têm seu valor reduzido.

Vou confessar para vocês que o que mais me atraiu nesse livro foi o título! Eu não escolho um livro pela capa, mas o título… esse sim me pega de jeito e me faz até ler um livro de poesia – e eu nem gosto tanto de poesia assim! Mas sejamos sinceros, quem nunca se identificou com o que um poeta disse? Quem nunca pegou um trecho ou mesmo um poema inteiro e pensou “nossa, isso foi feito para mim”?

É isso aí rapaziada, vamos dar mais créditos para os estudiosos dessa arte que é a Literatura, afinal se a Ciência tem a cura para os males do corpo, a poesia tem a cura para os males da alma…

“Os poetas e os romancistas são os nossos mestres do conhecimento da alma, pois bebem de fontes que ainda não se tornaram acessíveis à ciência” (Sigmund Freud) 

 

TAVARES, Ulisses (org). Quando nem Freud explica, tente a poesia. São Paulo: Francis, 2007.

4 latas

2 pensamentos sobre “Quando nem Freud explica, tente a poesia! – Ulisses Tavares (org)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s